c l a r e i r a

a parede olinda

A imagem de minha casa

cresce sobre a parede

o teatro de sombras curva-se

roça a linha da hera

verga argumentos

o jorro da água cega

ao longe baby-jesus está descalço

dez ideias para um futuro

presságios vêm das nuvens

e meu corpo curva-se

no campo sobre a parede da casa

terra sem habitantes

câmara de ecos ressoa a tua voz

areia, flor, seixo

sopro antigo no meio do aveloz

pela da serra da borborema

                                                                                                           jussara salazar | abril.2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: